OSIRIS-REx e o asteroide Bennu : tudo o que você precisa saber e notícias

osiris-rex

OSIRIS-REx orbita a menos de um quilômetro de Bennu

– Notícias de 18 de junho de 2019 –

O sistema solar continua a revelar seus segredos. Cometas e asteróides são alvos de exploração cada vez mais estudados pelas agências espaciais. A NASA, assim, dedicou a sonda espacial OSIRIS-REx ao asteroide Bennu, um objeto tipo C próximo da Terra, com cerca de 500 metros de diâmetro. Acredita-se que seja um fragmento planetoide que foi destruído durante a violenta história do nosso sistema solar. A sonda espacial norte-americana realizará uma amostragem posteriormente em sua missão.

Mas antes, o OSIRIS-REx está se aproximando de Bennu. Em 12 de junho, a sonda espacial norte-americana manobrou para baixar sua órbita. Agora está a menos de 700 metros da superfície do asteróide. Esta é a menor órbita já alcançada por uma sonda espacial. O objetivo é selecionar quatro locais potenciais para coleta de amostras. A NASA também quer usar essa pequena distância para elucidar um mistério.

De fato, Bennu tem um comportamento estranho. Ele regularmente joga poeira no espaço. A equipe científica da missão é surpreendida por esse fenômeno. O horizonte do asteróide será fotografado regularmente nas próximas semanas para tentar destacar essas ejeções e talvez compreendê-las. Em meados de agosto, o OSIRIS-REx retomará um pouco de altitude para continuar sua observação. Em julho de 2020, a sonda espacial pegará um pequeno pedaço do asteroide antes de trazê-lo de volta à Terra.

A agência espacial dos EUA, no entanto, está longe de ter completado a exploração de asteróides. Prepara duas missões ambiciosas. Lucy será a primeira sonda espacial a explorar os asteróides Trojan de Júpiter. Ele decolará em outubro de 2021 para sobrevoar muitos alvos. Em 2022, a missão Psique será lançada.



crew dragon first flight



OSIRIS-REx se aproxima de Bennu

– Notícias de 4 de dezembro de 2018 –

Missão da NASA OSIRIS-REx chegou perto do asteroide Bennu. No momento, a espaçonave não foi lançada na órbita do asteroide, está voando ao lado dela em uma trajetória similar. A sonda espacial entrará em órbita do asteróide em 31 de dezembro.

A principal missão do OSIRIS-REx é o retorno de amostras, como o que a sonda espacial japonesa Hayabusa 2 está fazendo no asteroide Ryugu. No entanto, será necessário esperar até 2023 antes de poder analisar esta preciosa amostra de asteróide nos laboratórios terrestres.

Enquanto isso, a espaçonave começará seu trabalho de estudo e mapeamento para selecionar o melhor local de amostragem possível. O OSIRIS-REx também tem a missão de determinar o potencial de recursos de um asteroide, o que poderia interessar futuros mineradores e exploradores.

OSIRIS-REx e Hayabusa 2 abordam seus objetivos

– Notícias de 18 de setembro de 2018 –

Duas missões espaciais terão suas amostras em asteróides este ano. Essas duas missões têm objetivos e programações semelhantes. Esta é a missão norte-americana OSIRIS-REx e a missão japonesa Hayabusa 2. Essas duas missões foram noticiadas nos últimos dias à medida que avançam em seus objetivos.

OSIRIS-REx foi capaz de tirar uma primeira série de fotos de seu alvo, o asteroide Bennu. A sonda ainda está a 2,3 milhões de quilômetros do asteroide, levará mais algumas semanas para se aproximar do asteroide. Espera-se que o OSIRIS-REx chegue perto de Bennu no dia 3 de dezembro. Antes de tomar uma amostra do asteróide, a sonda espacial passará um ano estudando Bennu. O mapeamento preciso tornará possível escolher o melhor site para coletar a amostra. Uma vez que sua carga valiosa é armazenada, o OSIRIS-REx fará a viagem de retorno à Terra. É necessário esperar até setembro de 2023 para poder analisar esta amostra em laboratórios terrestres.

A espaçonave japonesa Hayabusa 2 chegou nas proximidades do asteroide Ryugu. A missão japonesa é muito ambiciosa, pois também deve derrubar robôs, um lander e bombardear seu alvo com um impactor. Essas operações devem começar em breve. A Jaxa tem a intenção de deixar as rovers no dia 21 de setembro e de largar a sonda franco-alemã chamada Mascot em 3 de outubro. Para isso, a agência espacial japonesa planejou um ensaio geral das operações. Mas a Jaxa anunciou em 12 de setembro que tudo não saiu como planejado.

A manobra era trazer a sonda 30 metros acima do alvo. Chegando a 600 metros acima do asteróide Ryugu, a sonda Hayabusa 2 não conseguiu medir sua altitude corretamente. O instrumento de medição de distância com laser tem dificuldades com a superfície preta do asteróide, que aparentemente absorve um pouco demais de luz para este instrumento. A sonda é perfeitamente funcional, mas o método de abordagem deve ser revisado. A primeira série de estudos sobre o asteróide já identificou algumas de suas características, incluindo uma massa estimada em 450 milhões de toneladas. Isso é suficiente para que haja uma pequena gravidade no asteroide, o que seria suficiente para derrubar a sonda e os robôs em queda livre para a superfície. Espera-se que a JAXA resolva rapidamente os problemas de altimetria. Enquanto isso, a Hayabusa 2 já enviou lindas fotos de Ryugu sobre as quais podemos até ver a sombra da sonda.

NASA/Goddard/University of Arizona [Public domain]

Fontes

Você também deve estar interessado



Space Lover, Aprenda Como...

O que você quer fazer agora ? ?