Tudo sobre a lua e notícias

moon

A colisão da Terra com outro planeta teria criado a Lua

– Notícias de 24 de março de 2019

A história da criação da Lua ainda é objeto de intenso debate. O cenário de um impacto gigantesco é apenas uma hipótese entre outras. Esta hipótese foi formulada em meados dos anos 2000. Nós imaginamos que a Terra foi atingida por um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia. Parte do manto da Terra teria sido pulverizada na órbita da Terra. Este assunto teria então se aglomerado para formar a Lua.

As amostras trazidas da Lua mostram que o material do qual ela é composta é muito semelhante ao encontrado na Terra, o que confirma a hipótese de que pelo menos alguns desses materiais usados ​​para sua formação vêm do nosso planeta.

Esta evidência química e geológica não é, no entanto, suficiente para eliminar outras hipóteses. Por exemplo, podemos imaginar que a Terra e a Lua foram formadas ao mesmo tempo com o mesmo material. Isso explicaria sua semelhança química. Por outro lado, essa hipótese não explica a diferença de densidade entre a Lua e a Terra.

Podemos também imaginar que a Terra e a Lua são de um impacto gigantesco entre dois corpos celestes. Por enquanto, a hipótese de Theia é favorecida pela comunidade científica. Mas isso pode mudar com o retorno de amostras da missão chinesa Chang’e 5.





Hélio 3 na Lua é de grande interesse para a humanidade

– Notícias de 17 de fevereiro de 2019 –

A Lua é rica em oxigênio, ferro e alumínio. Também possui reservas significativas de titânio. O hélio 3 é o recurso que gera mais interesse. O vento solar bombardeou o solo lunar por bilhões de anos com esse isótopo. É assim misturado com o regolito diretamente na superfície da Lua. Acredita-se que o hélio 3 seja um combustível muito bom para a fusão nuclear. Os recursos de hélio 3 na Lua foram estimados em 100 mil toneladas, o que poderia fornecer energia à humanidade por alguns séculos de uma maneira bastante limpa.

No entanto, o hélio 3 é um combustível fóssil, portanto as reservas são limitadas. Coletar todo o hélio 3 exigiria a coleta e classificação do regolito na maior parte da superfície lunar. Seria então necessário trazê-lo para a Terra, o que seria um enorme desafio. Isso seria muito mais caro do que o que traria, especialmente porque os reatores termonucleares comerciais não estarão prontos por décadas.

No momento, é difícil identificar um recurso lunar que seja mais barato para trazer de volta à Terra do que encontrar na Terra. O mais simples é considerar a Lua como um enorme posto de gasolina para nos projetar ainda mais no sistema solar.

Gelo de água detectado na lua

– Notícias de 4 de setembro de 2018 –

Quase todas as agências espaciais decidiram fazer da Lua uma prioridade para a exploração humana. Um estudo publicado neste verão por uma equipe de pesquisadores dos EUA pode aumentar esse interesse. Desde a década de 1960, a Lua é suspeita de ter reservas de gelo de água em suas regiões polares. Esta teoria não pôde ser demonstrada até agora. Este é agora o caso, graças aos dados de um instrumento instalado na sonda espacial Chandrayaan-1. A equipe dos EUA foi capaz de identificar linhas de absorção no infravermelho próximo, indicando a presença de gelo de água.

Esta água se refugiou em crateras que nunca são expostas à luz solar. Isso explica por que demorou tanto para detectá-lo. As observações foram feitas a partir de quantidades diminutas de luz residual. A equipe na origem desta descoberta acha que o gelo chegou a essas regiões por condensação de vapor de água, talvez após impactos. A localização do gelo em pequenas áreas dispersas é muito diferente da encontrada em outros corpos do sistema solar, como Mercúrio ou Ceres. em todo caso, é uma excelente notícia para todos aqueles que esperam ver um dia uma instalação permanente do homem na Lua. A presença de água não só permitiria que os astronautas bebessem, mas especialmente que produzissem localmente propelente para seus motores de foguete. Na mesma região existem picos expostos a condições de iluminação muito boas, o que poderia tornar os painéis solares altamente rentáveis. Com água e energia, grande parte da equação da sobrevivência humana já está resolvida. Na Europa, até pensamos em como poderíamos transformar o regolito lunar em um material de construção.

A Lua é coberta de poeira fina, às vezes com vários metros de profundidade. Esta poeira pode ser aglomerada em tijolos, e até usada diretamente para impressão 3D de estruturas. Uma equipe da ESA conseguiu imprimir uma estrutura 3D a partir de materiais muito semelhantes ao regolito lunar. A poeira lunar é geralmente vista como um freio na exploração humana, pois se infiltra em todos os lugares e representa um risco para a saúde dos astronautas. Mas com um pouco de ingenuidade, pode ser a mesma poeira que os protegerá da radiação e das temperaturas extremas encontradas na superfície da Lua. A Lua interessa a americanos, europeus, russos e chineses. Nós certamente não terminamos de ouvir sobre estudos sobre recursos locais e como usá-los. Vamos torcer para que esse esforço de pesquisa acabe levando a uma situação real. Enquanto isso, até o final deste ano, a missão chinesa Chang’e 4 vai aprender um pouco mais sobre os pólos da lua.

Segundo novo estudo, a Lua poderia ter água

– Notícias de 8 de agosto de 2017 –

Uma equipe de pesquisadores da Universidade Brown está convencida de que a Lua está cheia de água. A equipe conta com a análise dos dados recuperados pela sonda indiana Chandrayaan-1, publicada no periódico muito sério Nature. Esta revista geralmente não publica artigos científicos sem fundamento. Parece, portanto, que esta teoria deve ser levada a sério. Mas uma lua cheia de água vai contra todos os nossos modelos e tudo o que sabemos sobre a lua. Acredita-se que a Lua tenha se formado após uma colisão entre a Terra e outro planeta do tamanho de Marte. O cataclismo teria deixado enormes quantidades de detritos que, por atração gravitacional, teriam eventualmente se reagrupado para formar a Lua. Isso teria acontecido cerca de 4,5 bilhões de anos atrás. O problema é que um cataclismo dessa magnitude deveria ter aquecido os destroços a temperaturas inimagináveis. Ele teria evaporado todos os vestígios de água antes que a lua fosse formada.

Esta não é a primeira vez que os cientistas se deparam com esses problemas da água lunar. Em 2008, Alberto Saal, também pesquisador da Brown University, analisou amostras da missão Apollo 17. As amostras foram 100 vezes mais ricas em água do que os modelos previstos. Analistas da sonda Chandrayaan-1 confirmam que esse fenômeno afetará todo o manto lunar. A água não está presente como um lago ou oceano na Lua, que é muito fria para isso. Seria um tipo de umidade geral do manto lunar. Nós ainda não podemos dizer se o gelo poderia se formar na Lua.

Em todo caso, isso é uma boa notícia para os exploradores. A água é absolutamente necessária para manter uma presença humana no espaço, e sempre se pensou que a Lua estava completamente desprovida dela. Talvez os próximos homens na Lua saibam como explorar essa água para tornar a Lua menos hostil. Para aprender mais, espera-se que os chineses estejam prontos para comunicar seus resultados. De fato, a China fez da Lua uma das prioridades de seu programa espacial. Já em dezembro deste ano, a missão Chang’e 5 terá que trazer amostras lunares de volta à Terra pela primeira vez desde as missões Apollo.

Imagem por Pixabay

Fontes

Você também deve estar interessado



Space Lover, Aprenda Como...

O que você quer fazer agora ? ?